quinta-feira, 24 de novembro de 2011

A seda do Papel


A seda do papel



teimava em se esvair, rasgar:
como se cavalos alados o levassem
[e o poema terminasse ali].



Eliana Mora 24/11/2011

2 comentários:

a poesia agradece

Sobrevoar