segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Nem sempre ao Redor


Nem sempre ao Redor



A ponta invisível de um satélite
pode ligar-se a um ponto qualquer.
Ou – simplesmente – não existir.



Eliana Mora, 21/11/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário

a poesia agradece

A vez dela