terça-feira, 28 de junho de 2011

Em Segredo

Em segredo



Entre minha boca e minha alma
se espremem caminhos;
e a nave do silêncio.



Eliana Mora, 21/5/2011

6 comentários:

  1. Eliana,
    suas palavras me fizeram lembrar de Quintana em:
    'Se as coisas são inatingíveis... ora!
    Não é motivo para não querê-las...
    Que tristes os caminhos, se não fora
    A presença distante das estrelas!
    Mário Quintana'
    que o silêncio não seja maior que tudo!
    Vim visitar seu espaço,posso ficar?
    Um beijo enorme!

    ResponderExcluir
  2. O silêncio da tristeza ou da dor, que seja menor! Tens razão. O da paz, do tranquilo pensar, do descanso, da beleza, para sempre.

    Já ficou! Esteja em casa!
    beijos da El

    ResponderExcluir
  3. ...que vaga
    na neve do sossego
    soprando nove segredos
    nas nuvens do acaso...

    bj

    ResponderExcluir
  4. e aos poucos vai voltando
    jogos nas mãos, poesias,
    docemente a carregar.

    beijo.

    ResponderExcluir
  5. dispo a leveza / em desejos contidos / apenas um sopro

    ResponderExcluir
  6. leve / e a brisa te acompanha / a derramar amor

    ResponderExcluir

a poesia agradece

Sobrevoar