sexta-feira, 27 de maio de 2011

Em Segredo

Em segredo


Entre minha boca e minha alma

se espremem caminhos;

e a nave do silêncio.


Eliana Mora, 21/5/2011

4 comentários:

  1. NO SILÊNCIO: palavras cálidas / dobram destinos / olhares se perdem

    ResponderExcluir
  2. quem sabe

    por eles/ os sinos / ainda irão dobrar

    ResponderExcluir
  3. Quem sabe do silêncio sabe tanto, quanto o fazedor do conhecimento.

    Como sabe bem olhar por dentro
    e da Alma colher o bom que há
    : a Vida sempre a acontecer...
    Na Natureza, e com todos os seres
    o Silêncio das palavras
    a dizer: - te quero tanto!
    vida minha das viagens que não calo,
    e sou mais na esfera
    do tanto que quero.

    beijo El, te gosto muito
    e da tua sublime poesia, Tero

    ResponderExcluir
  4. 'na esfera' podes ser, porém com os sentidos ligados e os sentimentos presos [que bom] à poesia - o que é parte da conjugação do teu 'ser'.


    obrigada, beijo
    El

    ResponderExcluir

a poesia agradece

Segunda chance