quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

De posse de um papel Rasgado





De posse de um papel rasgado 



Caí. Faltava-me o lápis. 
De posse dos dois, morri.
[faltou-me inspiração]




Eliana Mora, Out/2004
[Baú]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

a poesia agradece

Segredo