terça-feira, 17 de julho de 2012

Doce Ausência

 


Doce ausência


lateja, fala;
cala meu verso.
[dói nas entrelinhas].



Eliana Mora, 17/7/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

a poesia agradece

Sobrevoar