sábado, 21 de janeiro de 2012

De posse de um papel rasgado

 


De posse de um papel rasgado 



caí. Faltava-me o lápis.
De posse dos dois, morri.
[faltou-me inspiração].


Eliana Mora, Out/2004
[Poetrix do Baú]

2 comentários:

  1. Muito bonito, minha cara! Quando nos falta a inspiração, realmente nos parece que algo morre dentro de nós. E isso incomoda demais!]

    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, o poema nasce de uma forma ou de outra;'deixar vir' é importante...

      um abraço a ti!
      El

      Excluir

a poesia agradece

A vez dela