sábado, 7 de maio de 2011

Minhas mãos


Minhas mãos




carente de letras
fecham-se - lentas.
E te leio, no escuro.



Eliana Mora, sem data

Nenhum comentário:

Postar um comentário

a poesia agradece

Avesso