quarta-feira, 16 de março de 2011

Perdido, Calado

Perdido, calado



imenso e desproporcional,
o sol - na tua bandeira
suplica, arrasta, tange, pranteia.



Eliana Mora, 16/03/2011
Para o povo do Japão

2 comentários:

  1. Os ventos que as vezes tiram
    algo que amamos, são os
    mesmos que trazem algo que
    aprendemos a amar...
    Por isso não devemos chorar
    pelo que nos foi tirado e sim,
    aprender a amar o que nos foi
    dado.Pois tudo aquilo que é
    realmente nosso, nunca se vai
    para sempre...

    ResponderExcluir

a poesia agradece

Segunda chance