quarta-feira, 23 de junho de 2010

Quando em vez, vejo


Quando em vez, vejo



dunas em minhas retinas.
Linhas sinuosas, provocantes:
desejo.



Eliana Mora, 20/6/2010

6 comentários:

  1. Olá!
    quando puder, passa lá e pega o seu regalo!
    Um abraço,
    Luciana

    ResponderExcluir
  2. Que lindinho, e que atitude delicada!
    Olha, Luli, adorei !

    deixo beijos

    El

    ResponderExcluir
  3. Essas areias macias das dunas que adocicam o querer... não há como evitar desejar!

    abraço!

    ResponderExcluir
  4. ..."a sensualidade do deserto
    me deixa meio incerto"...

    bj

    ResponderExcluir
  5. ela, a sensualidade, tem vida própria...

    beijo.

    ResponderExcluir

a poesia agradece

Segunda chance