quarta-feira, 7 de abril de 2010

Atrás daquele Mondrian



Atrás daquele Mondrian




um cofre não havia.
Mas encontrei
suas impressões digitais.



©Eliana Mora, 21/02/2003

14 comentários:

  1. Sempre haverá vestígios reveladores.
    Não há mistérios aos olhos atentos.
    bjo

    ResponderExcluir
  2. Não tenha dúvida: olhos e sentires.

    beijo.

    ResponderExcluir
  3. Tuas digitais
    eram vestígios
    de você em mim.

    (El, adoro o que você escreve. A leveza, a simplicidade e as poucas palavras me tocam fundo, inspiram, alucinam.)

    Beijo, querida.

    ResponderExcluir
  4. [disseste-o bem!]

    teu elogio:
    pó de pirlimpimpim
    : em mim!

    beijão.

    ResponderExcluir
  5. É a sensação de que passamos sempre por onde só citamos! o sentido deixa suas marcas.. bjs moça.

    ResponderExcluir
  6. Os indícios de uma inquietude diante da maravilhosa sensação que uma obra assim nos oferta. Basta apurar os sentidos para os captar. Em três linhas, tantas entrelinhas!!!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. E como deixa......registra e jamais esquece!

    beijo.

    ResponderExcluir
  8. sempre: e vivam elas, as sensações, a percepção, a memória - de todos os tipos!

    obrigada, beijo.

    ResponderExcluir
  9. menina, que coisa boa

    =)

    beijo grande,
    G.

    ResponderExcluir
  10. Dentro daquela ostra
    a tua dor e a minha
    e nenhuma pérola.

    ResponderExcluir
  11. dentro da tua dor
    pérolas escondidas
    [tua e minha

    ResponderExcluir
  12. essas impressões podem levar a....[quem sabe?]

    ResponderExcluir

a poesia agradece

Avesso